sábado, 3 de setembro de 2016

Para ti que achas mesmo isto...

Há pessoas que acham que eu tenho uma vida maravilhosa.


Assim....

- dormir até ao meio-dia
- acordar para comer qualquer coisa gourmet que alguém me preparou
- voltar a descansar, provavelmente, atirada para o sofá enquanto vejo séries atrás de séries
- fazer um sacrifício para receber os filhos em casa que alguém os encarrega de trazer (ah afinal na vida perfeita que estas pessoas inventam para mim há filhos)
- alguém lhes dá banho, os alimenta, lhes atura as birras (são crianças) e os deita sem dramas, eu só brinco e rebolo a rir nos intervalos
- as compras aparecem em casa, temos sempre o frigorífico cheio e as prateleiras recheadas de cenas saudáveis
- a roupa lava-se, estende-se, dobra-se, passa-se e arruma-se....sozinha
- os animais são autónomos, ou fazem-se à vida e mandam vir pela internet as refeições e a higiene ao domicílio
- a casa está sempre impecável porque há alguém permanente a tratar de tudo para ela (que sou eu) poder estar ao alto, a ler, ver televisão e dormir
- às 21h está tudo incrivelmente calmo, as crianças a dormir e eu novamente no sofá a devorar novelas e a fazer de conta que leio livros de auto-ajuda
- os banhos são demorados e estou sempre fantástica, penteada e maquilhada mesmo para vegetar no sofá
- há fotografias da família feliz espalhadas pelas paredes brancas


- As crianças são impecáveis, educadas e obedientes. Às vezes fazem birra, mas só porque têm sono ou porque a aula de ballet não correu bem.

É isto mesmo. A minha vida é mesmo assim, mas com mais emoção, que só assim entre o sentado e o deitado era uma seca.


Ontem o meu filho encontrou-me sentada na casa de banho a chorar. Estava paralisada a olhar para o telemóvel por isso, na sua doce inocência, ele deve ter pensado que tinha perdido uma vida a jogar qualquer coisa de criança (todos sabemos que isto é um drama). Mas quando olhou melhor para o meu telemóvel, perguntou o que era aquilo. "O calendário" - respondi-lhe. 

Ninguém chora a olhar para o telemóvel pensou ele. E com um ar ainda mais preocupado perguntou "mas quê, o calendário anual ou o do mês?"
Nos 5 minutos que me permiti ter pena de mim, que fiz uma pausa entre esta vida maravilhosa que inclui homens semi-nus a cozinhar para mim, chorei a tentar perceber como faço três saltos mortais sem rede de apoio. Mas tenho uma vida boa e feliz, não destruam essa imagem, ok?


[Fotografias: Pinterest]

Sem comentários: